O ano da esperança

2016 foi um ano difícil. Parece que todos os brasileiros concordam com isso. Nunca se ouviu falar tanto em crise, desemprego, falência, corrupção ...  

Mas 2016 chegou ao fim. Feliz daquele que conseguiu usar a crise como oportunidade para buscar novos caminhos, repensar o estilo de vida ou fazer escolhas mais conscientes e racionais. O ano pediu isso.

Foi o ano da necessidade da reinvenção. Mudar assusta algumas pessoas, mas também pode trazer uma energia boa, que nos ajuda a enxergar outros horizontes e fazer descobertas inimagináveis.

Agora é hora de falar de ano novo. 2017 não promete uma guinada na economia, a volta dos empregos formais em massa ou do poder de consumo. Precisaremos nos manter cautelosos. Mas dentro de nós, muita coisa pode mudar. Podemos afastar o pessimismo e a negatividade e caminhar com mais esperança. Viver cada dia acreditando que tudo pode ser melhor. Esta mudança de postura e pensamento certamente impactará no trabalho e também na vida pessoal.

A construção de um verdadeiro ano novo começa em nós. A sensibilidade do poeta Carlos Drummond de Andrade, no no belíssimo poema “Receita de Ano Novo”, já nos disse isso, veja:

“ ... Para ganhar um Ano Novo  que mereça este nome,

 você, meu caro, tem de merecê-lo,  tem de fazê-lo novo,

eu sei que não é fácil, mas tente, experimente, consciente.

 É dentro de você que o Ano Novo  cochila e espera desde sempre.”

Feliz 2017!