O Franchising vive um momento de transformação. É hora de encará-la e fazer acontecer!

O Brasil vive um momento claro de mudanças. Velhos comportamentos não são mais aceitos, as pessoas estão diferentes e isso se vê claramente nos negócios. No Franchising, por exemplo, observamos um momento de alerta. Muitas redes passam por sérios problemas de relacionamento e algumas deixam o sistema para operar por outros modelos de negócios, a exemplo da Contém 1g.

Esse “abandono” ou desistência de operar pelo Franchising obviamente se dá por diversas razões, mas, observa-se que há um estresse, um desgaste nas relações que se traduz em ânimos aflorados, situações de conflito que não são colocadas de forma transparente e que prejudicam  o desempenho das unidades franqueadas e, consequentemente, da própria marca em si.

É da cultura brasileira não falar claramente de seus problemas, não sentar para conversar. Nosso povo tem o costume de “ir levando”, “dar um jeito”, “empurrar para embaixo do tapete”, mas os problemas crescem e se tornam incontornáveis. Algumas operações de Franchising chegam a um ponto em que as partes não confiam uma na outra e desenvolvem sentimentos recíprocos de desconfiança, insegurança e inimizade,  ao invés de se comportarem como parceiros comprometidos e unidos pelo bem da marca.

Por tudo isso, este é o delicado momento do resgate. É preciso que os franqueadores parem para pensar, avaliem delicadamente a situação atual da rede e busquem conjuntamente com seus franqueados as melhores soluções alternativas para seus conflitos. Afinal, o que se busca no modelo de negócio de franquia? Qual a essência do Franchising? A crise econômica que vive o país não deve carregar sozinha o peso das dificuldades das redes. Até porque a crise não é pontual e atinge a todos, de forma indefinida. Se os relacionamentos continuarem sendo conduzidos dessa forma, com desrespeito, falta de transparência e verdade, muitas marcas perderão o seu valor e prestígio.

Definitivamente, é necessária uma mudança radical de comportamento por parte de todos os franqueadores, franqueados e até dos profissionais atuantes no Franchising. O momento pede assunção de responsabilidades, comprometimento e profissionalismo. Cada um dentro de sua atividade e função.  E isso precisa ser feito agora. Na próxima semana, trarei algumas dicas sobre como transformar o ambiente da rede por meio de comportamentos positivos que tragam mudanças consistentes nas redes de franquia.