O perfil do novo franqueado

Há algumas situações que levam um investidor a desejar se tornar franqueado: a) ele quer ter seu negócio próprio; b) ele perdeu o emprego e vê na franquia uma oportunidade, c) ele quer ser franqueado, mas já tem em mente que pode ser um multifranqueado, com várias lojas da mesma marca ou operando algumas marcas diferentes. É claro que existem outras – e inúmeras – motivações, mas estas três clássicas nos dizem muito sobre o perfil do investidor. E não podemos negar que essas pessoas são muito diferentes umas das outras.

Em minha experiência de quase 30 anos como advogada de redes franqueadoras, observo de perto a evolução das franqueadoras e dos franqueados e posso dizer que fico muito feliz quando, hoje, entro em uma classe de MBA para ministrar aula e presencio franqueados compondo metade dos alunos. O que quero dizer é que é que, apesar de ainda haver quem queira comprar uma franquia apenas porque perdeu o emprego, existem inúmeros empreendedores que apostam nesta forma de negócio de maneira profissional, estando dispostos a investir não só dinheiro de uma rescisão, mas conhecimento, tempo e dedicação pessoal ao desenvolvimento do negócio. E estes, certamente, terão um desempenho muito melhor, porque agregarão teoria de gestão à prática.

Esse novo perfil de franqueado já é bastante desejado pelas marcas mais cobiçadas do mercado. Existem franqueadoras que realmente estão em busca de franqueados e aceitam qualquer perfil na rede – o pior erro de expansão que se pode cometer, porque esta franquia dará errado, certamente, se o franqueado for selecionado erroneamente. Mas, também existem aquelas em que há mais candidatos do que oportunidades e, assim, elas escolherão os mais capacitados. O conhecimento, neste caso, ajuda até na hora de uma decisão por parte do franqueador.

Para finalizar, deixo uma última dica a quem deseja abrir uma franquia ou para aqueles que já são franqueados: procurem conhecer histórias de grandes franqueados – ao invés de se fixarem apenas nas de grandes franqueadores. Há inúmeros empreendedores e empreendedoras bem sucedidos, que comandam verdadeiras redes dentro de redes – ou aqueles que são felizes com suas duas, três lojas. O importante é encontrar-se profissionalmente, amar o que se faz e investir sempre em sua melhoria pessoal e profissional contínua.