Ética tem a ver com comportamento - e não com discurso

Cada dia, um novo escândalo: a carne adulterada, a propina que corre solta, a prótese vencida que o médico inescrupuloso instalou no paciente indefeso... Mal saímos de um caso pavoroso, vem outro para nos assustar ainda mais. A indignação é tanta que chegamos ao ponto de pensar: o que virá pela frente?

Eu transporto esses casos para “meu mundo”, o universo do Franchising, para levantar uma discussão que nem precisa ir à mídia e ganhar as manchetes dos noticiários, ela é mais eficiente se realizada intimamente, no consciente de cada franqueador, franqueado, fornecedor e colaborador desse imenso sistema: qual é a sua ética pessoal? O que você está fazendo quando não tem ninguém olhando? Está você colaborando para oferecer produtos e serviços de qualidade ou também contribuindo para ser mais um membro desta rede corrupta que se formou em nosso País?

Não se iluda: não existe enganar muito ou pouco. Se você vende carne adulterada – mesmo que “bem pouquinho adulterada” – está cometendo um crime. Se você comercializa produtos abaixo do peso indicado na embalagem ou diz que tem algo ali dentro que não tem, é um criminoso. Se faz propaganda enganosa, está agindo de maneira errada, iludindo o cliente, é antiético. Se permite que a falta de higiene reine em suas cozinhas, causando danos à saúde de seus consumidores, está cometendo um crime contra a saúde alheia. Quantas atitudes mais eu poderia listar aqui? Infinitas!

Hoje, eu queria deixar aqui uma reflexão: o que cada um está fazendo, pessoalmente, para tornar o Brasil um pouco melhor? Esperar que as autoridades façam algo é realmente terceirizar um problema de todos. Não adianta dizer que você é alguém de confiança, que seu produto é de qualidade, se você não mostrar isso na prática. A situação atual dos frigoríficos está mostrando que você pode até investir milhões na contratação de personalidades de confiança da população, mas, se seu produto não for confiável, uma hora a realidade virá à tona e seu castelo de cartas desmoronará. A ética, cada dia mais, tem a ver com a atitude e com o que eu mostro – e não com o que eu falo sobre mim mesmo.