5 desafios para 2018: empreendedores devem ficar atentos

23jan18.jpg

Na semana passada, falei sobre os cinco cuidados que os empreendedores, o varejo e as franquias deverão tomar em 2018. Hoje, abordo os cinco desafios que estes profissionais e segmentos deverão enfrentar no ano que começa:

1)     Estruturar plano de crescimento estratégico – Com pouco dinheiro para investir, os varejistas e as franqueadoras precisarão de muita energia, criatividade e inovação para crescer. É necessário formar parcerias e ter profissionais-chave nas equipes, que consigam ser realmente estrategistas, para não errar nos objetivos de crescimento da empresa.

2)     É imprescindível ser digital – A comunicação, os softwares, os treinamentos, nada mais sobrevive longe do mundo digital. O desafio das empresas, hoje, é equilibrar o uso da tecnologia, que facilita a vida e reduz custos, com o contato humano, que não pode ser perdido, ainda mais nas relações de rede.

3)     Gerir os conflitos dentro de casa – Em se tratando das franqueadoras, é necessário aprender a administrar os conflitos de dentro para fora. A Mediação ajuda muito nesse processo. Não terceirizar o conflito é um fator importante para que as relações entre franqueador e franqueado sejam próximas e duradouras, porque, assim, eles solucionam os problemas que aparecem e têm continuidade na relação.

4)     Melhorar e aprimorar o processo de seleção – Essa é a forma de evitar conflitos futuros. Parece que, sempre, precisamos bater na mesma tecla: o franqueado selecionado de maneira errada trará problemas à rede no futuro. E, repito, a culpa não é do franqueado, quem precisa de total atenção a esse perfil é o franqueador, porque ele tem muito mais condições de avaliar quem pode ou não pertencer à rede.

5)     Ampliar a assistência ao franqueado e apostar na inovação por meio do compartilhamento de ideias – O suporte à rede franqueada é o diferencial das franquias de sucesso. Entendo como suporte desde a criação de novos produtos e serviços até a logística, os treinamentos, os manuais, o marketing, enfim, é todo um conjunto de ações que mantêm a rede equilibrada e, principalmente, profissionalizada. É preciso criar fóruns de discussão regionais, conselho de franqueados e até grupos para brainstorming, para que os franqueados sintam-se à vontade em opinar, em trazer inovações à rede. Essa maneira de captar ideias, de compartilhar conhecimento precisa ser permanente e constante, porque é da ponta, do contato com o cliente que vem esta importante parceria.