Na crise, o que fazer quando o franqueado fica inadimplente?

no-money-2070384_1280.jpg

Má gestão financeira, baixa procura pelos serviços ou produtos da marca ou alguma outra razão de ordem pessoal? O que fazer com um franqueado que deixa de pagar royalties e fundo de propaganda à franqueadora e insumos aos fornecedores? Como o franqueador deve agir nesses casos?

Se o franqueado está endividado, ele precisa, antes de mais nada, entender as causas. E o franqueador deve efetivamente ajudar nisso, pois a saúde financeira do franqueador depende da de seus franqueados – e vice-versa. É por isso que, ao menor sinal de problemas, as partes precisam avaliar e identificar a origem e grau das dificuldades, para juntas traçarem um plano de ação que possa recuperar o crescimento da unidade franqueada.

Para começar, o franqueador precisa analisar, junto ao franqueado, o DRE – Demonstrativo de Resultados de Exercício - uma planilha completa de gestão do negócio e, a partir dele, ter a noção real da situação financeira da franquia. Depois, entendidos os números, buscar as melhores negociações possíveis para estancar dívidas, por meio de critérios definidos com base em premissas reais, respeitando a individualidade de cada franqueado e aplicando medidas e condições condizentes com as políticas adotadas pela franqueadora. A negociação com base em descontos, isenções e até perdão de dívidas pode ser diferente para cada franqueado, desde que baseada nos mesmos critérios e limites.

O que assistimos, hoje, é que, no desespero de tentar ajudar o franqueado, o franqueador estabelece termos e condições diferenciadas para franqueados que estão com problemas semelhantes, porém, algumas vezes, por origens diversas. Acabam se utilizando de dois pesos e duas medidas... Aí, a confusão é institucionalizada na rede e acaba gerando outros conflitos que só agravam a crise. O efeito psicológico e grande, mas na prática, não produz qualquer resultado concreto. Medidas paliativas, na maioria das vezes, só pioram a situação que já é bastante tensa e complexa. Tudo tem de ser baseado em fatos e números reais. Basta entendê-los para achar um caminho correto, sem ilusões, postergações e até injustiças.