Comunicação interpessoal para melhorar relacionamentos

communication-1015376_1920.jpg

Recentemente, participei de um curso muito interessante: “Como melhorar a sua comunicação e os seus relacionamentos interpessoais”.

Segundo o conceito de dominância cerebral de Ned Herrmmann, a base do curso, há quatro perfis comportamentais: lógico, organizacional, relacionamental e criativo. Cada um tem seus pontos fortes e de melhoria, motivações e características comportamentais. Ao longo da vida – conforme o momento e ambiente – podemos oscilar entre dois perfis diferentes. 

O lógico, por exemplo, tem bastante iniciativa. Mas pode ser difícil de se relacionar. O organizacional, pontual e organizado, é difícil de se adaptar a mudanças. O relacionamental é bom na comunicação, mas tende a esconder conflitos.  E o criativo, como o próprio nome diz, tem esta competência acentuada, porém, pode agir com impaciência e rebeldia.

Quando se fala em relacionamento, sempre é possível fazer uma ligação com o franchising. Ferramentas como esta, que ampliam o conhecimento pessoal, podem ajudar um franqueador e se relacionar melhor com o franqueado, entendendo seu perfil e forma de pensar. Mais do que isso: estudar o perfil de um candidato a franqueado é de extrema importância para o processo de seleção. É importante saber como esse indivíduo se comporta em momentos de alta pressão, adversidades e estresse.

Não se trata de rotular um franqueado de acordo com uma metodologia, até porque nós, seres humanos, possuímos gatilhos de comportamentos diversos, que quando são acionados, provocam surpresas e, por vezes, indignações e decepções. Mas podemos utilizá-la como mais um elemento na hora de se comunicar com o franqueado, sobretudo em conversas complexas, onde a assertividade é muito necessária, mas difícil de ser aplicada... Relacionamentos são na verdade a essência da nossa existência. Estamos aqui para aprender a nos relacionar uns com outros. Em momentos de alegria, mas também em momentos mais pesados. Então, por que não investir em ferramentas que possibilitem um autoconhecimento que facilite a gestão das dificuldades nas relações?  Fica a dica.